Alemão - Super Banner
Imobiliária Fred Janot
Ratinset - Super Banner Topo
Portal Fronteiriço
Top Trânsito
Japa EAD
Ropel Distribuidora de Bebidas - Super Banner
Agropecuária Centauro
Portal Fronteiriço
Portal Fronteiriço

A VANTAGEM DAS ESCOLAS CÍVICO-MILITARES 

Por Isaac Carmo Cardozo

06/06/2021 21h38Atualizado há 2 semanas
Por: Isaac Cardoso

Recebemos uma importante notícia para São Borja e região referente a instalação de uma Escola Cívico-Militar, uma das propostas eleitorais do Presidente da República do Brasil Jair Bolsonaro, que faz parte do Plano Nacional das Escolas Cívicos Militares (PECIM). Cabe salientar que as vantagens e argumentos dos que defendem a militarização das escolas civis, é justamente a qualidade de ensino e o resultado obtido pelos alunos deste sistema em concursos diversos, sejam eles para o iingresso nas escolas militares de nível médio e superior, ou para universidades (ENEM e vestibulares). De acordo com o Ministério da Educação, essas instituições se destacam na média nacional no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), com nota 7 para alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental, enquanto a média nacional das escolas públicas fica em 4,9, colocando esta política pública educacional no topo da Qualidade de Ensino, sendo uma das melhores formas de educação, pois apresentam bons resultados nas avaliações de desempenho se comparadas com as demais escolas. De acordo com o site do MEC as Escolas cívico-militares têm gestão compartilhada entre militares e civis. A ação do MEC prevê que militares da reserva atuem em tutorias e na área administrativa e não como professores. Participam do programa, colégios municipais ou estaduais, onde já existem alunos matriculados no modelo convencional. Os professores serão civis responsáveis pela gestão da organização didático pedagógica, bem como financeira. A escola cívico-militar tem na sua essência princípios como a disciplina, que vem do militarismo, no tratamento a educação: através da serenidade dos militares, diferentemente de algumas pessoas com a tendência de disseminar a teoria da “liberdade sem limites”, ocasionando assim um aumento significativo de ocorrências policiais em áreas escolares como: consumo de entorpecentes, vias de fato, lesão corporal e desrespeito com os professores. A pergunta que se faz, é de quais motivos levam uma “minoria” de pessoas em repudiar este modelo de educação? O que há de errado em cultivar nas crianças e jovens os princípios da ordem e da valorização de nossos símbolos nacionais, como prescreve a Constituição Brasileira? Estatisticamente escolas militares ajudam na redução dos índices de violência. O crescimento da criminalidade e da violência tem despertado preocupação dos gestores públicos na implementação de políticas públicas na área de educação e segurança pública, sendo estas vistas de forma positiva, prova disso são as avaliações, que de forma satisfatória dão ao governo federal a oportunidade e instalar mais escolas. Em uma sociedade onde se luta para de frear a apologia ao uso de drogas e comportamentos libertinos que só desvirtuam os alunos no ambiente escolar amedrontando cada vez mais o corpo docente. Sendo que na escola cívico militar se busca a uniformabilidade, ensinando aos alunos deste cedo a importância de obedecer as regras. A instalação da presente escola se dará em uma área que apresenta uma grande vulnerabilidade social, como comprovado em uma pesquisa de campo, e pelo qual faz parte da dissertação final do mestrado em Políticas Públicas pela Unipampa, por este escritor. Tive a oportunidade de realizar o monitoramento de uma política pública que a Brigada Militar realiza junto as escolas denominado “Programa Educacional de Resistência ao Uso de Drogas – PROERD” ficando comprovado que os alunos frequentadores destas aulas, num percentual de 89,41%, tiveram alterações positivas no seu comportamento, havendo diminuição significativa no uso de drogas lícitas e ilícitas em suas rotinas, comprovando desta forma que a figura militar causa um impacto positivo . Destaca-se algumas vantagens da intervenção militar na educação: proteção individual e coletiva, recuperação do respeito ao professor na sala de aula, resolução rápida de pequenos conflitos e bons índices nas avaliações pelo MEC. É portanto, uma politica pública educacional que visa trabalhar o caráter do aluno e formar um cidadão, sendo que a escola cívica busca resgatar a valorização do professor e respeito Dados divulgados pelo Ministério da Educação comprovam que as escolas cívicos -militares tem uma taxa de abandono escolar de 77% (menor), a reprovação dos alunos é 37,4% menor e a avaliação do ensino é 20% maior. Portanto São Borja tem muito a ganhar com este modelo de escola que contribuirá dentro de suas atribuições em impactar positivamente os alunos que vierem a frequentar a escola, bem como a comunidade aonde vai ser instalada a escola Cívico-Militar.

 

Isaac Carmo Cardozo 

Bacharel em Direito pela Unilasalle/Canoas, Especialista em Gestão Pública UFSM/Santa Maria, Mestre em Políticas Públicas da Unipampa/São Borja e 1° Sargento da Brigada Militar do RS.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.