Sexta, 17 de Setembro de 2021
15°

Céu encoberto

São Borja - RS

Esportes Portal Fronteiriço

Brasileira Beth Gomes quebra recorde mundial e é ouro no lançamento de disco nas Paralimpíadas

Última a se apresentar, ela garantiu o ouro logo na primeira tentativa, mas melhora marcas e estabelece novo patamar ao bater 17,62m na final nas Paralimpíadas de Tóquio

31/08/2021 às 10h55 Atualizada em 31/08/2021 às 14h51
Por: Redação Fonte: Reprodução
Compartilhe:
Brasileira Beth Gomes quebra recorde mundial e é ouro no lançamento de disco nas Paralimpíadas

Beth Gomes precisou esperar por horas até se posicionar para seus lançamentos. Grande favorita na classe F52, para competidores em cadeiras de rodas, a brasileira só teve pressa quando deu início à apresentação. Com 15,68m logo em sua primeira tentativa, confirmou as expectativas e conquistou o ouro no lançamento de disco nesta segunda-feira nas Paralimpíadas de Tóquio. Mas ainda havia espaço para mais. Na sequência, Beth quebrou o recorde mundial duas vezes, estabelecendo a nova melhor marca em 17,62m. Com a vitória da atleta santista, o Brasil chega a 99 medalhas de ouro na história dos Jogos e fica a uma da centésima.

Beth, que sofre de esclerose múltipla, foi a última a se apresentar na final. Uma a uma, viu suas rivais lançarem e esperou. Garantiu a medalha de ouro logo em seu primeiro lançamento, com 15,68m. Na segunda tentativa, quebrou o recorde paralímpico, com 16,35m. Mas ainda cabia mais. Em suas duas últimas tentativas, quebrou o recorde mundial duas vezes, com 17,33m e 17,62m. A marca anterior, também dela, de 16,89m, durava desde 2019.

A brasileira, campeã no Parapan de Lima e no Mundial de Dubai, em 2019, completa a trinca de títulos dos sonhos dos atletas. Dona de todos os recordes possíveis, a brasileira confirma seu domínio no lançamento de disco.

Beth colocou mais de dois metros de vantagem para as rivais mais próximas. As ucranianas Iana Lebedieva, com 15,48m, e Zoia Ovsii, com 14,37m, completaram o pódio com a prata e o bronze, respectivamente.

A medalha de Beth é a segunda de ouro do Brasil no dia do atletismo em Tóquio. Ainda na sessão da manhã, Claudiney Batista também confirmou seu favoritismo ao título. Campeão no lançamento de disco F56 na Rio 2016, o mineiro de Bocauíva ainda detinha o recorde mundial - 46,68m - da prova. Em Tóquio, o atleta de 42 anos levou o ouro com facilidade ao lançar o disco a 45,59m, novo recorde paralímpico. A medalha de Claudiney foi a primeira do dia para o Brasil, ainda na sessão da manhã no Japão.

O país ainda conquistou duas medalhas de prata. Vinícius Rodrigues foi superado por um centésimo na final dos 100m T63 e ficou em segundo lugar. No arremesso de peso classe F11, para deficientes visuais, Alessandro Rodrigo fez sua melhor marca da temporada e garantiu o pódio.

Fonte: Globo Esporte


* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias